Category

Viagem

Category

Penedo, um destino romântico e aventureiro, muito escolhido pelos casais apaixonados. Eu já conhecia Penedo, porém meu namorado não. Então decidimos comemorar nosso aniversário de um ano de namoro na cidade. Moramos no Rio de Janeiro, relativamente perto, então fica tranquilo fazer aquele bate e volta num fim de semana. Levamos cerca de 1:30h para chegar. Apesar de já ter ido várias vezes a cidade, nunca havia me hospedado por lá. Sempre foram passeios rápidos de um dia, dessa vez consegui aproveitar mais.

Onde se hospedar em Penedo?

Quem me acompanha aqui viu que em Julho fiz minha primeira viagem internacional, e o destino escolhido foi a Bolívia. Veja os posts aqui!  E ela não teve muito luxo, optei por ficar em hostel. Então agora para Penedo queria algo com mais conforto mesmo, até porque seria uma viagem para comemorar uma data especial, e eu blogueira que sou, escolhi o Hotel Rio Penedo, uma hotel bem fofo e fotogravável,

Encontrei o anúncio pelo booking e pagamos 518 reais. Achei um bom valor, lembrando que era um quarto pra duas pessoas, com ar-condicionado, café da manhã bem servido, piscina, jacuzzi, wi-fi, além de se localizar cerca de 10 minutos andando do centro de Penedo. Ótima opção para quem viaja de ônibus. Amei o hotel e super recomendo.

Serrinha do Alambari e suas belezas naturais!

Além do clima romântico de frio, cervejinha e fondue, Penedo fica em Itatiaia, a caminho de Visconde de Mauá, ou seja, o local é repleto de cachoeiras. Uma mais linda que a outra. Optamos por conhecer o Poço das Esmeraldas (o das fotos abaixo) e vários outros que ficavam na mesma trilha. Pagamos R$13,00 reais para entrar. Funciona como uma taxa de conservação ambiental. A trilha leva cerca de 30 minutos, é bem tranquila, não é íngreme sabe?! Só é bem escorregadia e quando fomos ainda havia chovido.

Nesse local rola um camping muito legal, com trailers, barracas. Ótimo pra quem quer economizar. Da nossa pousada até o Parque Nacional de Itatiaia, que é onde ficam as cachoeiras da região, levamos cerca de 35 minutos. Colocamos o endereço no wase e foi bem tranquilo de chegar. Vocês também podem conhecer a cachoeira Véu da Noiva e do Dinossauro, fica no mesmo caminho dessa que fomos, porém subindo um pouco mais a serrinha. Nela você paga R$35,00. Sim, salgado. Mas falaram que vale a pena.

Além dessas opções também tem passeios de buggy, que custa em média R$120,00 por casal, toda pousada costuma de flyer de agências de passeio da região, e também passeio a cavalo.

serrinha do alambari penedo
Serrinha do Alambari – Poço das Esmeraldas

Onde comer na cidade?

A cidade não é barata, justamente por ser uma cidade turística, principalmente para casais, mas ainda assim você consegue encontrar preços mais em conta. A noite quando chegamos fomos a Casa do Fritz, ótimo pra quem adoro beber. No dia seguinte no almoço, fomos num restaurante bem simples Cremes & Sabores, anotem aí. Um prato executivo, muito bem servido, com arroz, batata-frita, filé de peixe, salada, feijão e farofa em guarnições a parte, por 21 reais. Valeu muito apena. O sabor era ótimo.

A noite optamos por um restaurante mais sofisticado, justamente por conta data especial, Jardim Secreto o nome. Amei! Pedimos esses pratos abaixo. Como não estávamos com muita fome, pulamos a entrada e fomos direto para o prato principal. O prato mais barato custa R$59,90 se não me engano, indo até uns R$89,00. O restaurante realmente se localiza num lugar secreto. Bem intimista, no meio do mato, todo de vidro, com direto a vela na mesa. Muito romantismo, gente! De fato não é um restaurante barato, mas se você pode e quer algo pra impressionar, eu recomendo.

Outros lugares: Yanuq Sushi Lounge, Korvapuusti, Costa Pizzaria, Restaurante Bucanero e Restaurante Brasileiro Gaúcho.

Restaurante Jardim Secreto Penedo
Restaurante Jardim Secreto

Você têm que conhecer a Pequena Finlândia!

Sem dúvida, esse é o lugar mais famoso da cidade. Bom, eu não falei a cima, mas Penedo é bem pequena, então uma noite no centro da cidade você conhece tudo. A Pequena Finlândia, funciona como uma vila, um espaço repleto de casinhas fofas e fotografáveis. Com fábricas de chocolates, doces caseiros, artesanatos e a famosa casa do Papai Noel. No Natal é quando a cidade tem mais movimentação de turistas. Fica tudo lindo, as crianças amam! Esqueci de fotografar por dentro, mas é só jogarem no google que vão ver como é tudo muito bonito. Fica aberta de segunda à sexta das 10h às 21h e de sábado a domingo das 10 às 22h.

Ah, e tem também o Museu Finlândes Dona Eva, que eu não conheço, mas estava no meu roteiro. Se você já foi aproveita pra me contar. O ingresso custa R$10,00.

Pequena Finlândia Penedo
Pequena Finlândia

Leia mais posts relacionados a viagens aqui!

Até a próxima!

Copacabana, que cidadezinha incrível. Eu estava ansiosa para visitar esse lugar, sério! Os passeios são lindos e repletos de história e cultura. Não tem como não se apaixonar e ficar encantado. A cidade é bem pequena, tem cerca de 6 mil habitantes. Fiquei no hostel bem no centro, mas a cidade é tão pequena (e barata) que mesmo um hostel mais longe estaria perto, haha.

Fiquei na cidade por 2 dias, o suficiente pra fazer quase todos os passeios. Assim que chegamos fomos a uma agência de turismo contratar os pacotes de passeio. Nesse mesmo dia, conhecemos “Las islas flotantes” (nas imagens abaixo), o passeio durou cerca de 2 horas e pagamos 30 bolivianos, 15 reais. Lá na ilha almoçamos, a comida é bem barata e bem farta, vendem prato individual. Peixe fresquinho, pescado na hora por você mesmo. Amo! Pagamos 30 bolivianos, 15 reis. Caminhando pela ilha é possível dar uma pequena subida pelas pedras e ter uma vista privilegiada do lago Titicaca.

Como chegar em Copacabana?

Eu peguei um ônibus em La Paz, com uma agência que contratamos por lá mesmo. Mas na rodoviária também existem diversas companhias de ônibus indo pra lá. Paguei 40 bolivianos, 20 reais. A viagem durou cerca de 4 horas.

Assista os vlogs da viagem aqui.

A ilha era dedicada ao culto feminino.
Isla del Sol é a maior ilha do Titicaca e é o destino turístico mais famoso partindo de Copacabana.

No segundo dia na cidade, fizemos o passeio que percorria o lago Titicaca passando pela “Isla del Sol e Isla de la Luna”. Pagamos 70 bolivianos, 35 reais, pelos dois passeios. Na hora paguei mais 30 bolivianos pelo guia, assim eu conseguiria subir a montanha ouvindo e conhecendo toda a história das ilhas. Sozinha seria apenas uma trilha com lindas paisagens, com o guia o passeio ficou muito mais rico por conta de tudo que ele nos explicava.

Pegamos o barco na beira do lago Titicaca, em Copacabana, seguimos para Isla Del Sol e em seguida para Isla de la Luna. O passeio é bem cansativo e dura o dia todo. Chegamos de volta ao hostel já era umas 17:30.  No geral, o passeio é lindo e vale muito, muito apena. Viajar pela Bolívia é muito barato, comida, hospedagem, transporte… E fiquei chocada, sabia que era barato, mas não esperava que fosse tanto. Fui pra Bolívia sem saber que me depararia com tanta beleza natural e pontos turísticos incríveis, sério! Então se você mora no Brasil precisa conhecer, viajar pra alguns países da América Latina é muito barato.

IMPORTANTE: Se você não gosta de andar de barco, não vá. São cerca de 2 horas dentro do barco, sem banheiro. Eu que não tenho fobia me senti agoniada. E se você costuma enjoar, leve um remédio.

Leve comida e água para o passeio, além de não ter muita opção o que tem é um pouco mais caro que em Copacabana. Uma garrafa de água de 1l custa uns 10 bolivianos. Ainda bem que eu fui preparada rs.

Cerro Calvario, Copacabana!

A caminhada de cerca de 750 metros deve durar entre 30 a 45 minutos, dependendo do ritmo de cada um.

O Cerro Calvario  é um monte muito visitado pelos bolivianos e pessoas religiosas. O trajeto lembra o caminho feito por Jesus carregando a Cruz, até o Calvário, a Via Crucis. Lá de cima a vista é absurdamente linda. Sugiro que você faça o percurso na parte da tarde, assim conseguirá admirar o pôr-do-sol. Além de conseguir ver toda a cidade de cima e o lago Titicaca. A cidade está a quase 4000 metros acima do nível do mar, então a subida é bem cansativa. Eu levei cerca de 1 hora para fazer todo o trajeto. Além, do calvário, bem pertinho dali, também tem a Basílica de Nossa Senhora de Copacabana. Vale a visita!

Melhor época para ir a cidade?

Bom, os meses mais chuvosos são os meses entre Dezembro e Fevereiro. Mas no geral, o ano inteiro é bom para se viajar. O clima sempre vai ser frio, por conta da altitude. São quase 4000 metros acima do nível do mar. Achei a cidade mais fria do que La Paz.

O que fazer a noite?

Bem no centro, as margens do lago Titicaca, têm muitas opções de bares, restaurantes, cafeterias, muitas opção é o que não falta. Tanto de comidas típicas quanto outras, como pizza, omelete, etc. A coisas são baratas demais, se comparadas ao Brasil e vem uma boa quantidade. Essa foto abaixo é de um piquemacho, comida bem típica na Bolívia, serve duas pessoas e pagamos 70 bolivianos.

Uma dica: Não deixe para tomar café na rua antes dos passeios, fomos de barriga vazia para o passeio, não tinha nada aberto e o único lugar que tinha além de muito caro, ainda fomos mal atendidos.

Até a próxima!

La Paz, tá aí uma cidade na Bolívia repleta de pontos turísticos. Minha estadia pela cidade foi curta, mas consegui conhecer alguns lugares e vim compartilhar com vocês. Realizei meu maior sonho nessa cidade, que era ver a neve, e nunca vou esquecer nenhum momento dessa trip incrível.

Após 7 horas de viagem vindo de Cochabamba (post aqui), chegamos a La Paz, deixamos as coisas no hostel e logo fomos procurar uma agência pra comprar alguns passeios. Fechamos Passeio pelo Mirador Killi Killi, um mirante em La Paz, pelo Vale de la Luna, Montanha Chacaltaya e Salar de Uyuni. Tudo ficou um total de 800 bolivianos, mais ou menos. Mas além desses pontos turísticos, existe a Igreja de São Francisco, bem no centro da cidade, o mercado de las Brujas, o Palacio Presidencial, enfim, existem inúmeros lugares que você pode conhecer, apenas andando pela cidade.

Mirador Killi Killi

De cima do mirante é possível ter uma vista panorâmica da cidade de La Paz, que fica cerca de 3640 metros acima do nível do mar. Por sinal, senti um pouco de dificuldade pra respirar, na verdade acontecia mais quando eu andava muito ou subia algo. Lá a gente perde o fôlego muito rápido.

Leia também: Cochabamba, Bolívia – Você precisa conhecer!Comprinhas da Bolívia: Tudo muito barato!

la paz montanha chacaltaya

Como disse acima, contratamos o passeio para a montanha Chacaltaya através de uma empresa de turismo em La Paz. No centro da cidade tem várias opções e os preços são praticamente os mesmos. Fomos num carro com cerca de 7 pessoas. O passeio durou umas 3 horas. A estrada é um pouco perigosa, eu que tenho fobia de altura evitei ficar olhando pra baixo. Foi lindo, e um dos passeios que mais esperei. Afinal, era meu sonho ver a neve, apesar de não estar fofinha aproveitei e amei a experiência mesmo assim. Na montanha funcionava a maior estação de ski do mundo. 

Vale lembrar que essa foi a maior altitude que enfrentei na cidade, cerca de 5400 metros acima do nível do mar. Passei muito mal.  Então sugiro que leve um remédio, na cidade vende vários. São bem comuns e não precisam de receita. Ou tome chá de coca, que é bem comum na cidade e funciona, realmente. Mas resumindo, o passeio é lindo.

Observação: Eu fiquei no  Hostel Áustria e  a diária custava 60 bolivianos, ou seja, 30 bolivianos por pessoa, já que fiquei em quarto duplo. 

Valle de la Luna

O passeio é bem curioso e diferente. O lugar apresenta  uma série de rochas com formações bem inusitadas, O Valle tem esse nome por parecer que estamos pisando na lua. O passeio dura cerca de 1 hora, Fizemos ele de ônibus, onde passávamos por vários pontos turísticos da cidade. Na entrada do Valle você paga cerca de 10 bolivianos (5 reais).  Porém, quando contratamos o passeio pela Montanha Chacaltaya ele também estava incluso o passeio pelo Valle de la Luna, os dois saiam por 100 bolivianos (50 reais), como já havíamos feito anteriormente não fomos de novo.

la paz bolívia
The English Pub

La Paz, o que fazer na cidade a noite?

Bom, só consegui curtir um dia a noite na cidade pois minha estadia foi bem rápida, mas o suficiente pra conhecer quase todos os pontos turísticos. A noite fui a um restaurante Inglês, como podem ver na foto acima. Pedi uma massa que por sinal estava deliciosa. Eu tentei comer comida boliviana, mas confesso que não consegui gostar. Nesse restaurante existe muitas opções de pratos, e os preços são bons. Porém, no centro da cidade tem muitos restaurantes de comidas típicas, é bem fácil de achar também.

Aproveita e assiste o primeiro e o  segundo vlog da viagem que já sairam lá no canal:

Até a próxima!

Pin It